http://www.tukasampaio.com.br/p/blog-page.htmlhttp://www.tukasampaio.com.br/p/contato_26.htmlhttp://www.tukasampaio.com.br/p/anuncie.html


Testei! - Corretivo Pro Longwear da M.A.C.

24.3.15
Arquivado em:



Oi galera, tudo bem?

Hoje eu vim trazer a resenha de um corretivo MARAVILHOSO, o Pro Longwear da MAC! Esse corretivo revolucionou a minha vida, acreditem!

Como vocês sabem eu moro em Salvador, a cidade mais quente do universo e além de quente é úmida, o que significa que ao final do dia você vai ter toda a sua maquiagem derretida feito picolé ao sol (momento drama). Nada que eu usei sobrevivia sem retoques estratégicos ao longo do dia, o que é um saco durante o corre corre que é a minha vida.


Aí eu lembrei que existem produtos a prova dágua no mundo, que vão me ajudar a sobreviver à Salvador. Primeiro pensei no Dermacolor da Kryolan, mas ele é caro e demora de chegar. Aí passei na MAC e comprei o Pro Longwear na cor NW20 e tenho usado ele desde então. 

Testei ele por 3 meses antes de falar para vocês (porque a. sou louca por corretivos e só depois de 3 meses eu conheço um de verdade b. esperei usa-lo no carnaval, na praia e em diversas situações para falar como ele se comporta e c. porque eu atrasei mesmo a resenha hahahaha).


Vamos lá!

O corretivo é líquido, bem fino e quando você aperta o pump você tem duas sensações: que sua mãe saiu dentro junto com o produto e que ele não vai cobrir absolutamente nada. 

Bem, sua mãe saiu junto com o produto! Seu pai também e provavelmente seus irmãos. Um pump só dá para passar tranquilamente em duas pessoas, ou até em três, a válvula é forte e dispensa muito corretivo. 

Agora, quanto a cobertura, é de média a pesada. É um corretivo bem seco, então você consegue construir mais uma camada sem craquelar (a terceira, em mim, já craquela, marca nas linhas e dá ruim!). Ele cobre bem, então você precisa de pouco produto, o que significa que ele duraria bastante se não fosse o lance do pump supersônico.


Sem corretivo | Com uma camada fina de corretivo 

E quanto a duração? Vamos analisa-las de acordo com cada situação!

No dia a dia - Acordo umas 7:00, me maquio e vou pra faculdade. 12:30, quando acaba a aula, ele está intacto. Digamos que eu saia, almoce fora, vá resolver algumas coisas na rua e só volte às 16:00. Ele continua intacto. Num dia comum, que enfrento pouco calor graças ao ar condicionado do carro e da faculdade ele dura tranquilamente 9 horas.

Na praia - Fora da água, ele dura muito, mas na água sinto que ele sai um pouco. Mas ainda assim fico maquiada depois de 4 horas de praia, o que é incrível. Lembrando que é um corretivo, não o Batman!

No carnaval - Aí sim esse corretivo fez valer cada centavo dos 89 reais que investi nele. Sai, bebi, dancei, suei, tomei banho de cerveja, dancei mais, tomei mais banho de cerveja, beijei, suei mais, enfrentei multidões e ele ficou lá, o dia todo, a noite toda... Ah, Pro Longwear, você foi um amor de carnaval!

Em São Paulo - isso aí, testei o corretivo até em um clima mais seco e ameno. Usei esse corretivo em São Paulo, que estava meio nublada, mas com uma temperatura maravilhosa. E querem saber? Se eu quisesse dormir com ele (se, apenas se, não pode dormir de maquiagem tá, só é uma suposição!!!) eu iria acordar pronta. O clima ajuda mas o corretivo é realmente incrível.

Então, podemos concluir que se você mora em Salvador ou em algum lugar mais quente que aqui (sei lá, Palmas?) você precisa desse corretivo para viver! Ele é perfeito, mais eficaz que qualquer outro, dura muito, cobre bem e não é tão caro (vamos pensar no custo x benefício, tá?).

E aí, alguém já testou o Pro Longwear? O que achou?

Beijo, beijo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Tuka Sampaio, 25 anos, capricorniana. Nascida e criada em Salvador (baianinha, oxente!), capricorniana, apaixonada por moda e maquiagem. Advogada que colocou o tailleur de lado para trabalhar com o blog e dividir um pouco do seu mundo com vocês.


youtube

facebook

news por e-mail

digite seu e-mail para receber todas as novidades:

#tukasampaio

arquivo do blog

translate